terça-feira, 31 de janeiro de 2012

SOMOS fecha as portas

Apesar de o financiamento público não ser a forma que a LBL entende adequada para a constituição de políticas públicas e de sabermos que muitas ONGs a nível nacional prestam um desserviço para o movimento social, na medida que assumem, através de projetos limitados, tarefas que deveriam ser cobrada como politicas de estado dos diversos dovernos, respeitamos e entendemos o problema pelo qual passam hoje organizações que desenvolvem um trabalho sério e comprometido como é o caso do SOMOS e do NUANCES aqui no RS.
Nossa solidariedade e parceria a estes parceiros e parceiras. Veja a nota divulgada pela entidade:
===================
APÓS 10 ANOS DE ATIVIDADES, GRUPO SOMOS FECHA AS PORTAS
Com reconhecida atuação nacional e trajetória na luta pelos Direitos Humanos, com ações focadas na Incidência Política e no Controle Social das políticas públicas voltadas à Diversidade Sexual e à Saúde Integral, atuando junto às populações vulneráveis de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, bem como pessoas vivendo com HIV/Aids, a ONG SOMOS – Comunicação, Saúde e Sexualidade fecha as portas em fevereiro de 2012, e suspende todos os serviços de atendimento direto ao público, oferecidos na sede da instituição.
Desta forma, serviços gratuitos como assessoria jurídica a pessoas vítimas de discriminação e violência, distribuição de insumos de prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis,  manutenção de grupos de convivência, realização de oficinas educativas e o acesso ao acervo documental com mais de 2 mil ítens, entre livros e filmes serão suspensos, sem data para reativação.
As medidas refletem o quadro de desmonte e descaso a que vêm sendo submetidas inúmeras Organizações Não Governamentais brasileiras, de utilidade pública, e sem fins lucrativos, que desenvolvem ações sociais com recursos exclusivamente advindos do orçamento público e através de
parcerias institucionais. Estas Organizações têm como principal papel a fiscalização e o acompanhamento da execução das políticas públicas.
A SOMOS, desde sua fundação, em 10 de dezembro de 2001, se manteve com trabalho voluntário e investimentos de seus sócio-fundadores, que sempre investiram em pagamento de aluguel da sede, serviços básicos e, até mesmo, de material permanente, mas após 10 anos, esta situação torna-se
insustentável.
Assim, após 10 anos de intensa atuação, a SOMOS suspenderá todos os atendimentos prestados diretamente à população e o Estado não cumprirá este papel, como é sabido.
"Apesar da crise, a qual somos submetidos, pelo descaso político, nós não calaremos nossa voz e manteremos nossas ações de incidência política e de Controle Social das políticas públicas", afirma Sandro Ka, coordenador
geral do SOMOS.
A entidade também honrará a execução de convênios e parcerias vigentes,
embora em sua maioria não-pagos, adequando de forma real suas ações aos
compromissos pactuados em cada projeto.*
*
Mais informações no http://www.somos.org.br/
Fonte para entrevistas:
Sandro Ka
Coordenador Geral do SOMOS Comunicação, Saúde e Sexualidade
Celular: 8104.870
Coordenador de Jornalismo:
Alexandre Böer
Cel. 51.8125.7536

Nenhum comentário: