14/07/2019

Jornada Lésbica Feminista Antirracista


A LBL é uma das redes que participam da organização da Jornada Lésbica Feminista Antirracista em Porto Alegre. Em 2019 vamos realizar a VI Jornada Lésbica Feminista Antirracista e estamos construindo as ações coletivamente. Além da Liga, outros coletivos e mulheres independentes\autônomas estão comprometidos com essa construção, o espaço é aberto para mulheres feministas antirracistas e toda participação é importante.

O tema da jornada é Sapatão: que visibilidade é essa? é uma proposta de pensarmos juntas quais como construções individuais influenciam e são influenciadas e pelo universo. Pensar como cada ação é política, cada corpo é político, cada passo segue uma construção.

Buscando dialogar com a população sobre nossas lutas e ampliar o reconhecimento de nossa autonomia e liberdade da expressão sexual. Reconhecendo a luta de cada companheira e valorizando a construção coletiva.

Pela vida das mulheres negras!
Pela autonomia dos nossos corpos!
Pelas mulheres que vieram antes de nós e por todas que virão depois de nós!

Vem construir a visibilidade lésbica!!

SAPATÃO: QUE VISIBILIDADE É ESSA? 🔻🖤🏳️‍🌈

Acompanhe a Página Jornada Lésbica Feminista Antirracista: https://www.facebook.com/jornadalesbica/

Nossa próxima reunião de organização é dia 15/07, às 19h, no Ateneu Libertário A Batalha da Várzea (rua Lobo da Costa, 147, bairro Azenha).
https://www.facebook.com/events/326902338215030/



28/06/2019

Coalizão de organizações LGBTTTI e de Trabalhadoras Sexuais da América Latina e do Caribe


A Liga Brasileira de Lésbicas está presente no 49° período de sessões da Assembleia Geral da OEA junto à Coalizão de organizações LGBTTTI e de Trabalhadoras Sexuais da América Latina e do Caribe, estamos presente e trabalhando incansávelmente pela defesa e avanço dos nossos direitos. No dia do Orgulho LGBTI celebramos que a #AsambleaOEA aprovou novamente a Resolução de Direitos Humanos e pessoas #LGBTI. Graças ao nosso trabalho seguimos avançando para que a @OEA_oficial e todos os Estados protejam nossos direitos. #ResistenciaSapatão 👏🏽🏳️‍🌈💪🏽
#OEAmásDerechos #AsambleaOEA

NOTA CONJUNTA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS LGBT+ DO RIO GRANDE DO SUL

Rio Grande do Sul, 28 de junho de 2019.

No dia 28 de junho de 2019, completa-se 50 anos da Revolta de Stonewall, movimento liderado por mulheres travestis em Nova Iorque contra as constantes violações de direitos executadas pela polícia local em repressão a população LGBTI+. Este dia representa a luta por direitos e reafirma o orgulho de ser LGBTI+. Os grupos que assinam esta nota, Liga Brasileira de Lésbicas, ONG Outra Visão e Nuances, são grupos que lutam por direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Travestis. Fomos eleitas em 2019 para compor o Conselho Estadual de Promoção de Direitos LGBT no Rio Grande do Sul (CELGBT) e exigimos a imediata nomeação das instituições eleitas conselheiras para o biênio 2019-2010 no Conselho Estadual de Promoção dos Direitos LGBT do Estado do Rio Grande do Sul. Este é um direito de toda a população LGBTI+ do Rio Grande do Sul.

Hoje, infelizmente, vivemos uma política de exclusão que impõe retrocessos às nossas conquistas, como o Decreto 9883/2019 publicado no dia de hoje e que desmonta completamente a política de participação social do Conselho Nacional de Combate à Discriminação (CNCD/LGBT). No Rio Grande do Sul, a situação do CELGBT não está distante da situação nacional. Apesar de ter acontecido processo eleitoral e doze entidades da sociedade civil tenham sido eleitas, não houve até o momento a nomeação destes conselheires. A eleição das instituições ocorreu em 1 de abril de 2019, em Fórum Estadual específico para isso e convocado publicamente, no Centro Administrativo Fernando Ferrari em Porto Alegre. Exigimos que a o governador Eduardo Leite nomeie imediatamente as instituições da sociedade civil eleitas, seguindo o regimento do Conselho e seu decreto de fundação (51504/2014).

O imobilismo do Governo do Estado do Rio Grande do Sul em nomear estas instituições conselheiras para o mandato de dois anos põe em risco a participação social LGBTI+ no governo, conquista dos movimentos amplamente reconhecida como democratizante e de transparência na construção de políticas públicas. A revolta de Stonewall é o marco de nascimento do movimento LGBTI+, moderno e atuante na promoção e luta dos direitos humanos da população LGBTI+. Nestes 50 anos de luta e atuação, o movimento conquistou importantes avanços, em um cenário que ainda há muito a ser feito e conquistado. Hoje fazemos um chamado a sociedade civil organizada e a toda população LGBTI+ a se manifestarem contra o decreto autoritário do governo de Jair Bolsonaro, contra a retirada de direitos e pelo fim da violência que mata nossa população. Pelo fortalecimento do controle social, manutenção e ampliação de direitos exigimos a instauração imediata do Conselho Estadual de Promoção de Direitos LGBT do Rio Grande do Sul.

Liga Brasileira de Lésbicas - LBL/RS
ONG Outra Visão
Nuances - Grupo Pela Livre Expressão Sexual
Nuances - Grupo Pela Livre Expressão Sexual
Somos - Comunicação, Saúde e Sexualidade
Igualdade RS - Associação de Travestis e Transexuais do RS
Movimento Social Girassol - amigos na Diversidade
Igualdade Guaíba
ONG Construindo Igualdade (Caxias do Sul)
Associação LGBT do Rio Grande - RS

Nota Pública VI Jornada Lésbica Feminista Antirracista - Orgulho LGBT

Sapatão: Que Visibilidade é essa?
No dia internacional do Orgulho LGBTQI+, a histórica Jornada Lésbica em Porto Alegre coloca para a sociedade questões que atravessam a vida de lésbicas e mulheres bissexuais. Pensar como as especificidades demarcam nosso ser política e o que perpassa gênero, raça, classe e geração.

Sapatão: Que visibilidade é essa?
Nos remete a pensarmos onde estamos? Onde estão nossos corpos, nossos direitos, nossas lutas, nossos afetos, nossas famílias, nossos amores?

Sapatão: Que visibilidade é essa? Desnuda propositadamente a forma e o jeito de falar! Direta e reta, a Jornada Lésbica POA traz o debate para a cidade de Porto Alegre e ecoa internacionalmente com outros Movimentos de Mulheres…Sapatão contra toda opressão!

Qual a visibilidade que temos? Qual visibilidade queremos? Por que queremos visibilidade? O que nos oprime? Quais são os nossos privilégios?

Que saibamos reconhecer nossos privilégios enquanto branquitude antes de tudo! Que a nossa existência pare de ser considerada ofensiva, ameaçadora ou desconcertante!
 Cada uma que se soma a esse movimento faz essa onda crescer, nossa existência é um ato político e não vamos recuar. Nossa expressão sexual não volta mais para o armário! Sapatão é Revolução! Não estaremos escondidas! O armário é opressor com calibre silenciador!

O Brasil é o país que a cada 16 minutos mata uma LGBTQI+ por homofobia. A morte física é simbólica e nos persegue dia a dia trazendo insegurança, violentando nossos corpos e prejudicando nossa saúde mental. Nossas vidas importam!


Exigimos direito à existir sem violências! Exigimos respeito e direitos garantidos! Exigimos ampliação de direitos! Pelo fortalecimento do Controle Social e contra o Decreto nº 9.883/2019 que estabelece o Conselho Nacional de Combate à Discriminação, presidido e coordenado por representantes do governo federal e não mais da sociedade civil como antes.

Pelo fim da proibição de ser quem somos e de expressar nossa sexualidade Em apoio a Mariana Gómez, condenada na Argentina a um ano de prisão por beijar sua companheira em uma estação de trem.Que façamos ruir o racismo e o heterossexismo como política de controle do Estado.

Em memória e referência a Stormé DeLarverie sapatão negra que deu início à rebelião de Stonewall. As mulheres negras lésbicas trazem suas pautas específicas de combate ao racismo e o direito ao bem viver, direito à vida!

VI Jornada Lésbica Feminista POA/ 2019 - Anticapitalista! Antirracista! Pelo fim do Heterossexismo!