terça-feira, 31 de julho de 2012

Repúdio: Violência entre Lésbicas

Liga Brasileira de Lésbicas
ligabrasileiradelesbicas@uol.com.br
www.lbl.org.br
Salvador, 30 de julho de 2012

Nós, militantes da Liga Brasileira de Lésbicas, expressão do movimento social, de âmbito  nacional,  que  se  constitui  como  espaço  autônomo  e  não institucional de articulação política, anticapitalista, anti-racista, não lesbofóbica,  não  homofóbica  e  de  articulação  temática  de  mulheres  lésbicas  e bissexuais,  pela  garantia  efetiva  e  cotidiana  da  livre  orientação  e  expressão afetivo-sexual, vimos a público expressar nossa indignação frente a violência domestica entre lésbicas relatada por Maria Fatima Pinheiro de Magalhães da Silva, Diretora Geral do Grupo de Mulheres Felipa de Sousa, conforme Carta Aberta divulgada pelas redes sociais em 30/07/2012.
Somos radicalmente contra toda e qualquer forma de violência, não toleramos violências entre lésbicas, repudiamos o silêncio que nos cala e mata. Entendemos que os diferentes movimentos de lésbicas e mulheres bissexuais precisam refletir e promover a denúncia de violências praticadas pelas suas/nossas companheiras. É inconcebível que dentro dos nossos movimentos haja as mesmas violências, os mesmos atos desonestos e truculentos que denunciamos fora dos movimentos.
Entendemos que o silêncio frente a violência praticada por representantes dos movimentos de lésbicas é uma traição às nossas irmãs lésbicas e a todos as mulheres que representamos. Indignadas e profundamente tristes, expressamos todo apoio e solidariedade à companheira Fátima. Lembrando que violência é doença, sugerimos tratamento para a agressora. Que a mesma se retrate publicamente.

Nenhum comentário: